O Blog esta em atividade normal, seja um membro participante, faça logim ... é fácil e rápido ...

sábado, 10 de setembro de 2011

ESTRADA DE FERRO SÃO SIMÃO




ESTRADA DE FERRO SÃO SIMÃO 



Em 8 de janeiro de 1901 o Dr. Jorge Fairbanks e a sua mulher Dona Leonor Cavalcanti Fairbanks, já haviam adquirido o patrimônio da extinta Cia Viação Férrea São Simão pela importância de 146:000$000 (cento e quarenta e seis contos de réis), em prestações pelo prazo de cinco anos, constantes de 42 km de linha férrea, locomotivas, material rodantes, prédios, oficinas, e linhas telegráficas.

Depois de ter levantado a penhora da Cia, em 17 de junho de 1901 e ficando definitivamente extinta a Cia, o Dr. Jorge Fairbanks passou a ser o único dono desta nova empresa “Estrada de Ferro São Simão”, resolve mudar o traçado dessa nova ferrovia, iniciando o arranchamento dos trilhos partindo da Estação Central que contornava o lado contrário da cidade, até a Fazenda Santa Maria tendo iniciado esta mudança de trajeto em janeiro de 1902.

Em 14 de maio ao fazer reforço da hipoteca com o Dr. Henrique Santos Dumont, que acionista da ex-Cia Dr. Jorge fazia constar de uma escritura que:- “tendo sido preciso mudar o traçado da extinta Cia, visto que; como proprietário desta nova empresa a fim de evitar o trecho que da Estação de Santa Maria vinha a ter a esta cidade (São Simão), deu-se o assentamento dos trilhos partindo da Fazenda Santa Maria vindo a ter como quilômetro 0 (zero), nas terras da Fazenda Restinga no km 264* da Cia Mogiana” .

(*) neste quilômetro (264) a Cia Mogiana já tinha instalado ali desde o ano de 1896 um vagão para servir de parada de trem de passageiros para atender o transporte das pessoas que vinham de São Simão para visita de seus entes-querido sepultados no novo cemitério da Fazenda Restinga (visto que, com a capacidade esgotada do cemitério de São Simão), a Comissão de Saúde havia feito um pedido para a construção de um novo distante da cidade pelos menos uns quatro km no cerrado para evitar a contaminação pela Febre Amarela, que ainda era desconhecida a sua contaminação. Como na época não havia meio de transporte no dia de finados a Cia Mogiana disponibilizava um trem de passageiro que tinha um tráfego de hora em hora trazendo e levando as pessoas desta visitação.

Com a chegada dos trilhos neste quilômetro em janeiro de 1902, o Dr. Jorge Fairbanks foi dando início as construções de oficinas, escritórios, e casas de zinco para os trabalhadores, na ocasião era Presidente da Cia Mogiana de Estrada de Ferro o Dr. Bento Quirino dos Santos, que ao tomar conhecimento da situação modificou a planta de suas estações e mandou construir neste km (264) uma estação com duas plataformas, sendo uma para atender a Cia Mogiana e outra cedeu para o Dr. Jorge Fairbanks usar a princípio com seus trens de passageiros, ainda em janeiro de 1902 fizeram uma pré inauguração desta estação que teve seu término em 1903, e por uma unanimidade deram o nome nesta estação de “Estação de Bento Quirino”, e como o lugar já havia formado um núcleo ferroviário estenderam o nome ao bairro para BENTO QUIRINO.

O entusiasmo do Dr. Jorge Faibanks era grande, ele desdobrava-se chegando até trabalhar como maquinista quando preciso, o assentamento dos trilhos continuava buscando outros municípios como Mato Grosso de Batatais (hoje Altinópolis) e indo ao Estado de Minas Gerais.

Em abril de 1905 numa seção da Câmara Municipal, Dr. Jorge Fairbanks proprietário da Estrada de Ferro São Simão, pede rescisão do contrato que fora assinado em 29 de novembro de 1890, visto como tornando estadual a aludida estrada, tinha o suplicante a obrigação de lavrar novo termo com o Governo do Estado um novo contrato, para poder continuar com o assentamento dos trilhos para mais municípios abrindo novas estações, esse requerimento foi aprovado devido a sede da Estrada ter ido para Bento Quirino, e com um grande prejuízo para a cidade de São Simão, foi um duro golpe para os simonenses e a fim de evitar o seu desaparecimento do município, era dado autorização para rescindir, e entenderam que foi apenas mudança de local da sede da ferrovia, era inaceitável essa mudança e a cidade ficava novamente privada de uma ferrovia, que tanto os simonenses queriam, desaparecia a Estrada de Ferro São Simão ( a estradinha do Dr. Jorge) como era chamada, e com outra denominação nascia a nova ferrovia, a “COMPANHIA ESTRADA DE FERRO SÃO PAULO E MINAS”.

Texto:-
José Roberto França

Nenhum comentário:

Postar um comentário