O Blog esta em atividade normal, seja um membro participante, faça logim ... é fácil e rápido ...

quarta-feira, 27 de junho de 2012

CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICINA






CURSO DE FORMAÇÃO DE OFICINA


A Estrada de Ferro São Paulo e Minas criou em novembro de 
1949, no bairro de Bento Quirino, um curso para meninos de
12 a 16 anos, com duração de dois anos para formação de 
aprendiz de mecânico... !!!



CFO - Bento Quirino




As aulas tiveram início em 1º de fevereiro de 1950, tendo a 
"Escolinha", formando algumas dezenas de aprendizes de
mecânicos, que depois passaram ao quadro do pessoal da 
Ferrovia, provando uma grande eficiência, chegando alguns
ao cargo de chefia, fiz parte deste curso nos anos de 1958
e 1959, a "Ecolinha" como era chamada por nós, funcionou 
até  agosto de 1971... !!!

"Inesquecível São Paulo e Minas"


Arquivo de: José R.França


Ribeirão Preto - sp



domingo, 24 de junho de 2012

TRILHO HISTÓRICO (1896)





TRILHO HISTÓRICO (1896)


Foto tirada de um pedaço de 0,60cm do trilho usado ma primeira
ferrovia construída por Jorge Cezimbra Fairbanks, ( Cia
Melhoramentos de São Simão)... !!!







Fotos de: José R. França


Este pedaço de trilho passado de pai para filho guardado
como relíquia em uma família de São Simão, que me
emprestou para tirar a foto, podemos ver com clareza
a data cravada nele... !!!


Ribeirão Preto - sp


quinta-feira, 21 de junho de 2012

DESVIU - CHAVE OU AMV ?





DESVIU - CHAVE OU AMV ?


Para os visitantes do blog que não tem noção de ferrovia ai vai
algumas dicas nestes equipamentos nas fotos abaixo... !!!





Nesta foto vemos uma linha reta, com um desviu a direita,
onde vemos uma chave para mudança de linha.




Aqui temos a visão melhor do equipamento, esta chave não
muda ela esta travada.




Vemos uma chapa parafusada no dormente com três parafusos
obrigando a agulha permanecer encostada no trilho.





O equipamento aqui esta sem a alavanca usada manualmente
para virar de posição, esta pintura verde na placa indica para
o maquinista que a posição da linha esta correta para ele.






Nesta foto vemos uma chave automática, que pode ser
virada com o trem descendo, embora a agulha esta
encostada no trilho da direita, indicando a reta e o 
trem passa normalmente, se o trem vier descendo da
linha que vemos virando a direita, ele também passa
normalmente pois; o friso da roda força a ponta da
agulha encostar no trilho esquerdo, a composição passa
sem causar danos (quebra), terminando de passar o
último vagão a chave volta na posição normal.






Dentro deste tubo existe uma mola com óleo, que faz o
movimento para os dois lados, ou seja; empurra e puxa a
agulha, o equipamento não quebra.





A alavanca de mudança de posição esta virada para baixo,e não
tem em cima da chave aquela indicação com tinta verde, e o
maquinista não precisa se preocupar, na trava do lado de cima
existe um cadeado fechando o equipamento para evitar que alguém
sem conhecimento vire a alavanca de posição.




Vemos o cadeado fechando o equipamento, para
efeito de segurança.




A mesma chave com as pontas das agulhas lubrificadas
sobre as chapas parafusadas nos dormentes, para
facilitar o movimento (pra lá e pra cá).




Este equipamento de ponta liga as duas linha sem
nenhum controle, o trem passa normal tanto numa como
noutra, esse conjunto tem o nome de "Jacaré".




Visão contrária da primeira foto lá em cima, a chave esta na posição
da linha reta, ou seja passando encostada na plataforma da estação.

No linguajar da ferrovia esse equipamento pode ser chamado de:
Desviu, Chave, ou AMV, o nome oficial e correto é AMV
"Aparelho de Mudança de Via" ... !!!


Fotos de: José Roberto França.
o local das fotos é na Estação
de São Simão, Estação Fechada.


Ribeirão Preto - sp


terça-feira, 19 de junho de 2012

RIBEIRÃO PRETO - 156 ANOS





RIBEIRÃO PRETO - 156 ANOS


Ribeirão Preto comemora-se hoje (19/06/12) 156 anos de sua
fundação, atualmente com mais de 600 mil habitantes, diversas
atividades alusiva a data ocorre hoje na cidade... !!!



Estação do Barracão, pintura de Beto Candia


A edição do jornal " A Cidade" de hoje traz várias gravuras, 
feitas pelo artista Beto Candia, dos edificios antigos da
cidade, como o tema do blog é ferrovia, ai esta a velha
estação do Barracão, construída nos anos de 1900 pela
Cia Mogiana, situada na entrada do Bairro Ipiranga.
"Parabéns Ribeirão" ... !!!



Ribeirão Preto - sp.


sexta-feira, 15 de junho de 2012

PARADOR DE VEÍCULOS DE LINHA




PARADOR DE VEÍCULOS DE LINHA



O equipamento que vemos na foto abaixo, é um dispositivo
de segurança colocado no final de uma linha morta, afim
de evitar que veículos saem da linha, vagões gôndolas, gaiolas
ou até mesmo locomotivas... !!!




Parador e ou Aranha


Este aparelho é fixado nos trilhos, no final da linha no
linguajar da ferrovia ele é conhecido como "aranha", as
vezes uma batida forte pode danificá-lo... !!!



Ribeirão Preto - sp

quarta-feira, 13 de junho de 2012

ESTAÇÃO DE MATÃO





ESTAÇÃO DE MATÃO


Recebi por e-mail de um visitante do blog, que reside em Matão
Sr. Carlos Sousa Lima, esta foto da estação daquela cidade, e
não deu mais detalhes sobre ela... !!!



Foto do Sr. Carlos (1995)



Também não sei informar mais, pois não conheço a Estrada de
Ferro Araraquara, trabalhei pouco tempo nela, é uma bela
foto, nos dias de hoje não sei o estado desta Estação... !!!



Ribeirão Preto - sp


terça-feira, 12 de junho de 2012

5 DE NOVEMBRO DE 1940





FALECIMENTO DE ANTÔNIO MARIA QUERIDO



Depois de alguns dias doente falece repentinamente, no dia
5 de novembro de 1940, em Altinópolis o Mestre de Linha o
Sr. Antônio Maria Querido, foi um golpe para a ferrovia a 
emoção comoveu a todos os funcionários, principalmente
a Diretoria  na pessoa do Dr. Homero Benedicto Ottoni, 
decretando luto oficial em toda a Estrada, e determinou
oficialmente que fosse colocado um trem especial que partindo
de Bento Quirino com destino à Altinópolis, para os empregados
e amigos a prestarem as últimas homenagens... !!!



Nota do Jornal "O Trabalho" de São Simão


Antônio Maria Querido, deixou histórias, amigos e mudou
a trajetória da família, os filhos mais velhos assumiram
a responsabilidades sobre os menores, e mudaran-se
para Bento Quirino ... !!!



Ribeirão Preto - sp


sexta-feira, 8 de junho de 2012

HORRORES DA GUERRA

  




"A MENINA DE NAPALM"

(Homenagem)



Foi há 40 anos que o fotógrafo Huynh Cong Ut se sagrou como autor da imagem da "Menina de Napalm", onde se vê uma criança nua em fuga, durante a guerra do Vietnam, a protagonista da imagem conta como foi sua vida depois do momento em que foi fotografada, no trágico incidente em que caiu a bomba.
Kim recorda que ouviu soldados axaltados a 8 de Junho de 1972 dizendo "temos que fugir daqui, nós vamos morrer" gritaram. Segundos depois, fumo roxo e amarelo já tinha envolvido o templo Cao Dai, local onde a família da menina estava abrigada há três dias. Várias bombas explodiram, fruto dos confrontos entre as forças vietnamitas de norte e sul, pelo controle da cidade. Kim sentiu o chão tremer, olhou para cima e rapidamente percebeu de que um avião estaria prestes a sobrevoá-la. Sem que desse conta do que iria acontecer, a menina foi atingida por Napalm, que a feriu gravemente.

Kim estava em choque muito ferida  quando se apressou  até à autoestrada, onde juntou-se aos irmãos. Quando chegou ao destino a menina não resistiu aos ferimentos e desmaiou, não tendo visto as dezenas de jornalistas estrangeiros que ali estavam para registrar os acontecimentos da guerra.

Foi então que Huynh Cong Ut, fotógrafo vietnamita (autor da imagem), viu a menina e a levou para o hospital, dentro das instalações hospitalares, Cong Ut
foi avisado de que a menina estava gravemente ferida para ser salva.
Cong Ut rapidamente mostrou sua credencial de membro de imprensa norte americana, trunfo que usou para exigir o melhor tratamento para Kim. Dias depois de a imagem ter sido publicada, outro jornalista descobriu que a menina tinha sobrevivido, apesar de ter chegado ao hospital em estado muito grave, com muitas queimaduras pelo corpo.

Christopher Wain, um correspondente britânico que também ajudou Kim na altura do acidente, lutou para que a menina fosse transferida para uma unidade norte americana, a única capaz de lhe dar o devido tratamento.
Phan Thi Kim Phuc tinha queimaduras em terceiro grau espalhadas por quase todo o corpo, "todas as manhãs, por volta das oito horas, as enfermeiras davam banho para conseguirem remover a pele morta das queimaduras".


Phan Thi Kim Phuc

Após inúmeras cirurgias, realizadas ao longo de 13 meses, a menina saiu do hospital. Kim queria voltar a ser criança novamente que sua vida  entrasse na normalidade de novo. Durante algum tempo Kim Phuc consegui viver normalmente. Apesar de sua foto ser vista em todo o mundo, Kim permaneceu desconhecida, exceto para os habitantes da vila onde morava perto da fronteira com o Camboja. Entretando, as dores de cabeça e corporais acabaram por arruinar a sua vida que a jovem de nove anos queria ter.

Tantos os tramentos médicos como os medicamentos eram caros, e para usufruir de ambos Kim teve de começar a trabalhar, na vila onde morava recebia visitas frequentes de jornalistas, "eu queria fugir daquele povo que me olhava dizia Kim", e acabei sendo outra vítima com a imágem daquela foto que percorria o Mundo, Kim mostrava coragem e queria esquecer aquela cena.

Atualmente Kim Phuc é casada com um vietnamita Bui Huy Toan, Kim não acreditava que alguém iria aceitar de tantas queimaduras e cicatrizes pelo corpo, a jovem apaixonou e casou-se em 1992, tem dois filhos, reside em Toronto no Canadá, e é embaixadora da Paz na Unesco, na ONU, Kim diz nesses 40 anos hoje sou "feliz".

"Phan Thi Kim Phuc, vencedora da guerra do Vietnan"... !!!

Texto: José R. França


 Ribeirão Preto - sp.



sexta-feira, 1 de junho de 2012

ANTÔNIO MARIA QUERIDO





ANTÔNIO MARIA QUERIDO



No dia 30 de março de 1909 embarcava em Lisboa, com destino ao Brasil um moço de 25 anos, que deixava sua terra natal Ribas conselho de Figueira da Foz em Portugal. Desembarcou no porto de Santos no dia 14 de abril, e ja no dia 18 estava trabalhando na turma de avançamento, cujas pontas dos trilhos estava nas alturas de Congonhal, iniciou-se como trabalhador na turma 9 onde o feitor era o Sr. Francisco Carreira. Em 1911 assumiu como feitor na turma 7, que ficava no quilometro 42, em 1914 foi removido para feitor na turma 11 em São Sebastião do Paraíso, casou-se em 26 de setembro de 1917 e veio morar na casa da conserva no quilometro 135. Com o falecimento do Mestre de Linha o Sr. Higino Fernandes em 1920, seu substituto deveria ser o feitor Sr. Francisco Carreira (feitor mais antigo), como não soubesse ler e escrever foi indicado ao cargo de Mestre de Linha o Sr. Antônio Maria Querido, e em junho de 1920 teve que mudar para Altinópolis... !!!



Antônio Maria Querido



Com a inauguração do ramal de Serrinha, a linha havia sido dividida em duas seções, Antônio Maria Querido ficou com o trecho de Serrinha a São Sebastião do Paraíso,  e para o outro trecho foi nomeado o Mestre de Linha o Sr. Antônio Simões, que sendo analfabeto levava sempre consigo nas viagens seu filho como escrevente. Havia também o engenheiro de linha o Dr. Arsky (russo), em novembro de 1928 o Dr. Severiano Álvares, superintendente da Estrada, dispensou a título de economia o engenheiro e o Mestre de Linha, o Sr. Simões, passando assim o Mestre de Linha Antônio Maria Querido, como um único a chefiar a linha por toda a sua extensão, e tendo como auxiliar o Sr. Alvino Rodrigues, que veio residir em Ribeirão Preto. Sinto-me com muita honra de ter trabalhado nesta ferrovia, e tendo meu avô Antônio Maria Querido, o único Mestre de Linha da São Paulo e Minas que ocupou com este cargo toda a extensão da Estrada... !!!



Ribeirão Preto - sp